O antigo Posto Fiscal de São Pedro de Moel está no lote dos 12 primeiros imóveis do concurso para a atribuição dos direitos de exploração turística, do Fundo Revive Natureza, que acabam de ser adjudicados a entidades privadas

 

Aos privados compete agora dar uma nova vida e funcionalidades aos imóveis, “com vista à criação de uma oferta turística sustentável e inovadora que acrescente valor à região, atraindo novos visitantes e fixando novos residentes nas localidades onde se inserem”.

Em comunicado, o Governo dá conta que estes 12 concursos preveem a criação de 50 postos de trabalho, em projetos maioritariamente destinados a alojamento para fins turísticos (8), mas também de restauração (2) e de atividades de animação e lazer de âmbito turístico (2), com caraterísticas “inovadoras” em termos operacionais e face à oferta existente na região.

Lançado a 21 de julho de 2020, o concurso recebeu um total de 161 propostas. As propostas vencedoras, para além da recuperação do imóvel de uma forma que minimize o impacto ambiental, assumem o compromisso de criar emprego localmente, bem como de promover outras ações com impacto social relevante. Os concorrentes propõem-se ainda a promover os produtos típicos da região (alimentares, artesanato, etc.) e criar experiências, nomeadamente através de parcerias, que permitam aos visitantes viver a região.

Os concorrentes têm agora nove meses para a apresentação e aprovação dos Pedidos de Informação Prévia vinculativos, ou dos Projetos de Arquitetura, junto das respetivas Câmaras Municipais, sendo a concessão dos imóveis por um período de 25 anos.

De referir ainda que o Fundo Revive Natureza tem abertos os concursos para a atribuição dos direitos de exploração de mais sete imóveis, entre os quais se encontra o Parque do Engenho, também no concelho da Marinha Grande, e cujo prazo de candidaturas termina no próximo dia 18 de março.

e-max.it: your social media marketing partner