O CENTIMFE – Centro Tecnológico da Indústria de Moldes, Ferramentas Especiais e Plásticos é uma das entidades que integra o consórcio que está a desenvolver um dispositivo inovador que ajuda a abrir portas sem utilizar diretamente as mãos

O projeto, que surgiu no âmbito do combate à pandemia de COVID-19, está a ser desenvolvido pela empresa Shapetek – Tecnologias de Maquinação, em parceria com o CENTIMFE, o Instituto Politécnico de Coimbra e a empresa Sandredy, e vai permitir, nos próximos meses, a produção de dispositivos inovadores de apoio à abertura de portas.

Segundo o JMG apurou junto do CENTIMFE, os dispositivos em desenvolvimento vão permitir abrir portas sem utilizar diretamente as mãos e terão aplicação em ambientes de grande afluência, como hospitais, lares e zonas comerciais. De acordo com os promotores, trata-se de “um produto versátil, com custo acessível, de fácil instalação e baixa manutenção e que pretende evitar a propagação do vírus”.

Com produção 100% nacional, o dispositivo compreende “uma forte incorporação de design metodológico, conceptual e de projeto mecânico”.

A vertente ergonómica será um dos aspetos a ter em atenção no desenvolvimento do dispositivo que será também viável para pessoas portadoras de algum tipo de limitação motora.

De acordo com o Centro Tecnológico da Indústria de Moldes, Ferramentas Especiais e Plásticos, localizado na Marinha Grande, já foram estabelecidos contactos com vista a permitir testar os protótipos em ambiente hospitalar, “por forma a validar as novas soluções criadas, cumprindo com todas as especificações”. Pretende-se uma forte implantação do dispositivo na eventualidade de uma segunda vaga da pandemia.

O projeto “COVID Porta Aberta”, iniciado em junho último, irá decorrer até fevereiro do próximo ano com o apoio da Agência Nacional de Inovação, no âmbito do programa Centro 2020, sendo co-financiado pelo FEDER, entidades que procuram a implementação rápida para soluções inovadoras de resposta à pandemia.

e-max.it: your social media marketing partner