Numa altura em que se começa a preparar o Orçamento do Estado para 2021 e atendendo à situação económica em virtude dos impactos negativos da pandemia, a Associação Empresarial da Região de Leiria (NERLEI) reforça a necessidade de o documento incluir um conjunto alargado de medidas que “fomentem e possibilitem” a recuperação da economia


A NERLEI, que pertence à Direção da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) apoia, neste contexto, o conjunto de medidas que aquela instituição apresentou no final da semana passada.

As propostas apresentadas pela CIP consistem em medidas temporárias, de caráter excecional, de apoio à recomposição da tesouraria das empresas e de estímulo extraordinário à economia; e medidas permanentes, dirigidas ao enorme esforço de investimento, privado e público, que a recuperação exige, à aposta na qualificação dos recursos humanos e sua adequação às necessidades do mercado de trabalho, e a um ambiente de negócios mais favorável à atividade empresarial, entre outras.

Em nota de imprensa, a NERLEI diz considerar que a inclusão destas medidas no Orçamento do Estado para 2021 e a garantia da sua efetiva aplicação “serão condições necessárias para que a atual crise seja superada, alavancando a produtividade e competitividade, como premissas essenciais para que as empresas conquistem quota de mercado nos mercados globais, criem mais emprego, gerem mais rendimento, ao mesmo tempo que incorporam as dimensões digital e ecológica, imprescindíveis a um crescimento sustentado”.

e-max.it: your social media marketing partner