A Cooperativa de Consumo do Povo da Marinha Grande está numa fase de mudança, com a introdução de algumas medidas que visam ganhar espaço no competitivo mercado da distribuição alimentar, como nos explica o seu responsável máximo, Luís Barreiros.

Como tem decorrido o ano de 2017 para a Cooperativa?
Penso que bem. A nova direção tem procurado melhorar os pontos fortes da COOPPOVO e eliminar os menos positivos.
Não tenho todos os elementos de comparação uma vez que a actual direcção tomou posse no início deste ano.
No essencial, ainda que com algumas contrariedades, têm-se dado passos importantes. Há por parte dos funcionários grande colaboração nas medidas implementadas e bom espírito de equipa.
Os sócios têm sido colaborantes com opiniões e contributos, o que é importante numa instituição como a Cooppovo.

Que alterações foram introduzidas na gestão da COOPPOVO deste que tomou posse?
Não diria alterações. Mas sim, foram “indroduzidas” algumas medidas. Uma das primeiras medidas foi ao nível do restaurante com o fornecimento de caixas alimentares para a venda de comida para fora pondo fim aos “tupperwares”. Era uma questão de segurança e higiene alimentar. Houve no início alguma resistência mas rapidamente os sócios entenderam. Outra foi uma mais rigorosa gestão de stocks, maior controlo entre compra, prazo de entrega e reposição na prateleira. Neste aspecto deram-se grandes passos ainda que haja necessidade de aperfeiçoamentos. Simultaneamente procuramos junto dos nossos fornecedores melhores condições de aquisição das mercadorias.

Esta secção do artigo está disponível apenas para os nossos assinantes. Por favor clique aqui para subscrever um plano para ver esta parte do artigo ou então leia o artigo completo na nossa edição em papel.

e-max.it: your social media marketing partner