1. Nas fábulas de Esopo, há uma delas que passou para o nosso quotidiano como o “menino mentiroso”, mas trata-se da fábula “o garoto pastor e o lobo”. Suficientemente conhecida pela circunstância do pastor anunciar enganadoramente a vinda do lobo para lhe comer as ovelhas, até que um dia o lobo veio mesmo e não havia ninguém para o salvar. Lembrei-me disto pela circunstância de esta semana ter sido anunciado que a Câmara Municipal da Marinha Grande, entre 308 municípios ter sido considerado o 6º mais transparente do país. Ou seja, avaliados os municípios por critérios sérios, rigorosos e científicos, portanto, sem prosápia, retórica balofa ou encómios de circunstância a protagonistas políticos locais desta ou daquela cor, a realidade não engana.  Estou cada vez mais de acordo com Isaiah Berlin, filósofo da modernidade, que dizia para haver democracia é fundamental um instituto de estatística. Nem mais!

2. Terminei neste domingo, com o congresso distrital da Nazaré, 8 anos de mandato como Presidente da Distrital de Leiria do PS. Nunca, em 40 anos de democracia, nenhum socialista do concelho da Marinha Grande tinha atingido uma função desta importância e estou, por isso, muito grato a todos os que me apoiaram, sobretudo, aos socialistas da Marinha, da Vieira e da Moita que estiveram, sempre, e incondicionalmente, ao meu lado. Chego ao fim com a consciência do dever cumprido, entrego um PS melhor do que aquele que recebi, de 2 câmaras municipais em 2005, subimos para 6, em 2013, incluindo, pela primeira vez, a capital do distrito e colocámos na sociedade um conjunto de ideias e propostas que ajudaram a nossa região a progredir.

No meu discurso de encerramento tive oportunidade de ler o poema de uma música lindíssima imortalizada por Maria Betânia que se chama Tocando em Frente e que, a dada altura nos diz: “Todo o mundo ama um dia, todo mundo chora, um dia a gente chega, no outro vai embora, cada um de nós compõe a sua história, e cada ser em si carrega o dom de ser capaz e ser feliz”.

Esta é a força das palavras e também da poesia, esconderijo e altifalante ao mesmo tempo.

3. Vem aí a 25º edição da Feira de Artesanato e Gastronomia, momento alto das festividades do concelho e um momento único de pujança de uma coletividade de cultura e recreio. Parabéns à instituição e às gentes do Casal Galego.