Segundo o relatório da Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria, há agora um total de 872 infetados no concelho desde o início da pandemia, 643 doentes recuperados e 23 óbitos atribuídos à COVID-19.

De referir que a Marinha Grande, que se encontra na lista de concelhos com risco muito elevado de contágio, registou um crescimento exponencial de novos casos nas últimas 5 semanas e mais que duplicou o número de óbitos.

 

Óbitos mais que duplicaram

Analisando os dados disponibilizados diariamente pela Proteção Civil, é possível verificar que entre os dias 7 de dezembro e 11 de janeiro quase duplicou o número de casos de infeção. Passámos de 431 para 824 infetados, um aumento na ordem dos 90%.

Já no que se refere aos óbitos, a situação é mais preocupante, uma vez que no mesmo período se verificou um aumento de 130%, ao passarmos de 10 para 23 vítimas mortais.

Quanto ao número de casos ativos, houve oscilações, em função dos novos casos e das recuperações, mas nos últimos dias ultrapassámos as duas centenas. Já as recuperações mais que duplicaram, ao subirem de 303 no dia 7 de dezembro para 614 no dia 11 de janeiro.

Voltando aos números revelados esta quinta feira pela Proteção Civil, destaque para a existência de 298 novos casos de infeção no distrito, 234 recuperações, há mais 52 casos ativos – são agora 3583, e registaram-se mais 12 óbitos, totalizando 296 vítimas mortais.

Novo confinamento a partir de sexta feira

Entretanto, o país entra em novo confinamento geral esta sexta feira, dia 15 de janeiro. O Governo decretou o recolhimento domiciliário, o teletrabalho obrigatório, o encerramento dos estabelecimentos culturais e do comércio, salvo algumas exceções, como mercearias e supermercados, que vão ter lotação limitada a 5 pessoas por 100m².

Os restaurantes apenas vão poder funcionar em regime de take-away e entregas ao domicílio.

As creches, escolas e universidades vão permanecer abertas, em regime presencial. Os tribunais, consultórios, dentistas e farmácias também vão poder manter a porta aberta.

Os serviços públicos, por sua vez, vão funcionar mediante marcação prévia.

As cerimónias religiosas vão ser permitidas segundo as normas da Direção Geral da Saúde, já os ginásios, pavilhões e outros recintos desportivos vão ter de encerrar.

Em resumo, nos próximos dias a ordem é para ficar em casa, limitar os contactos ao agregado familiar, reduzir as deslocações ao essencial, usar máscara, manter o distanciamento, lavar frequentemente as mãos e cumprir a etiqueta respiratória.

e-max.it: your social media marketing partner