Em audição parlamentar, o deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo distrito de Leiria, Ricardo Vicente, perguntou ao Ministro do Ambiente se o Governo abandonou a construção de uma Estação de Tratamento de Efluentes Suinícolas (ETES) de propriedade e gestão pública

Segundo o deputado, a medida havia já sido anunciada por Matos Fernandes e por Capoulas Santos, ministro da agricultura do anterior Governo, “após reconhecerem que as organizações locais de suinicultores desperdiçaram os 9 milhões de euros que estiveram adjudicados à obra durante anos”.

O ministro respondeu que continua a concordar com a criação desta estrutura, assim como com o novo serviço público de tratamento e valorização de Efluentes Agropecuários e Agroindustriais, mas que para tal é necessário que seja criado um entendimento interministerial para que a medida solucione “verdadeiramente” o problema.

Para Ricardo Vicente, “trata-se de uma desculpa difícil de compreender, pois os dois ministérios são da tutela do mesmo Governo e a decisão sobre a criação de um novo serviço, assim como da adjudicação dos meios necessários, é do Governo”.

Recorde-se que na sequência da aprovação de duas moções pela despoluição do Rio Lis e pela construção de uma ETES de propriedade e gestão pública, propostas pelo Bloco de Esquerda nas Assembleias Municipais de Leiria e Marinha Grande, em 2018, a Assembleia da República aprovou uma Resolução no mesmo sentido.

O deputado lembra que “há décadas que este problema se arrasta e o rio Lis é transformado num esgoto para as suiniculturas”, considerando que “inaceitável que esta situação se mantenha, em especial quando a água é um recurso cada vez mais escasso e mais valioso”.

Ainda de acordo com Ricardo Vicente, “enquanto o Rio continuar a ser um esgoto, os trabalhos de requalificação das suas margens que estão a ser promovidos pelas Câmaras Municipais de Leiria e da Marinha Grande servirão de pouco para o bem-estar da população e para a economia local”. 

e-max.it: your social media marketing partner