João Ferreira e Sandra Pereira, deputados do PCP no Parlamento Europeu, estiveram nos passados dias 5 e 6 de junho na Marinha Grande no âmbito de uma Jornada de Trabalho no distrito de Leiria

Os eurodeputados realizaram, em dois dias, duas dezenas de iniciativas em que contactaram com mais de uma dezena de áreas da vida económica e social do distrito de Leiria.

Os direitos dos trabalhadores, a situação económica de micro e pequenos empresários, o setor da pesca, a agricultura, o comércio local, o associativismo e a saúde foram apenas alguns dos assuntos em foco nos contactos estabelecidos com diversas entidades nos concelhos de Pombal, Leiria, Marinha Grande, Nazaré, Caldas da Rainha e Peniche.

Em declarações ao nosso jornal, a eurodeputada afirmou que o grande objetivo das Jornadas foi “fazer uma ronda pelos vários setores que o PCP considerou como prioritários, com o objetivo de conhecer os problemas existentes no terreno”. Segundo Sandra Pereira, “a pandemia evidenciou um problema para o qual o PCP vinha alertando há muito e que está relacionado com a precariedade. Aqueles que tinham vínculos mais precários foram os primeiros a ser dispensados e muitos deles estão com uma mão à frente e outra atrás porque não têm qualquer apoio e são estes problemas que queremos evidenciar”.

Na Marinha Grande, os eurodeputados contactaram com representantes da Associação Comercial e Industrial, com vendedores do Mercado Municipal, dirigentes associativos, e com a Direção da Cooperativa de Consumo do Povo da Marinha Grande. Participaram ainda ao final da tarde de sexta feira, no Auditório José Vareda, no Sport Operário Marinhense, numa sessão pública subordinada ao tema “A União Europeia e a defesa dos direitos, da saúde, dos serviços públicos e da produção nacional”. Além de João Ferreira e Sandra Pereira, a sessão teve como oradores Ângelo Alves, membro da Comissão Política do Comité Central do PCP e responsável pela Organização Regional de Leiria do PCP, e André Martelo, do Secretariado e Executivo da DORLEI do PCP, responsável pela Organização Concelhia da Marinha Grande.

No final da Jornada e em jeito de conclusão, os eurodeputados salientaram “a necessidade urgente de medidas concretas e eficazes de defesa dos interesses dos trabalhadores do Distrito, em especial a necessidade central de repor o pagamento dos salários a 100%, o respeito pelos horários de trabalho e outros direitos que estão a ser postos em causa em várias empresas e locais de trabalho do setor privado e público”.

Frisaram ainda a necessidade “de um decidido combate à precariedade que está na origem de uma grande parte dos despedimentos entretanto verificados”.

O PCP alerta também para “a muito complexa situação de milhares de micro, pequenos e médios empresários da região, cuja parte significativa não teve acesso às medidas implementadas pelo Governo, como foi relatado por várias associações comerciais”, sublinhando a importância de “uma aposta decidida na produção nacional, nomeadamente em áreas fundamentais como a alimentação, a indústria, energia, entre outras”.

Das reuniões realizadas ficou patente a importância do investimento nos diversos serviços públicos, nomeadamente no Serviço Nacional de Saúde, tendo sido referida “a necessidade de um sério investimento nas estruturas do SNS no Distrito de Leiria, cujas fragilidades estão hoje mais evidentes, apesar da notável resposta dada, determinada em grande parte pelo empenho e dedicação dos profissionais da saúde”.

Os eurodeputados chamam ainda a atenção “para os perigos que persistem no quadro do início da chamada época de incêndios, nomeadamente no Pinhal Interior Norte e Mata Nacional de Leiria, onde as medidas necessárias continuam, três anos após as catástrofes, por concretizar”, defendendo a existência de um programa integrado de desenvolvimento económico e social para o Distrito de Leiria.

O PCP alertou também para a situação do Movimento Associativo a braços “com graves dificuldades financeiras”. “Em muitas situações trata-se de estruturas das quais dependem trabalhadores e que têm neste contexto um papel fundamental para a coesão social em vários concelhos. O PCP irá continuar a acompanhar esta realidade e irá defender a criação de apoios e medidas específicas para apoiar e salvaguardar o movimento associativo de base popular”, refere ainda o Partido Comunista.

“Os problemas, questões, aspirações e reivindicações recolhidas nesta intensa jornada de trabalho dos deputados do PCP no Distrito de Leiria serão agora alvo da intervenção institucional do PCP na Assembleia da República e no Parlamento Europeu, bem como no plano autárquico, seja para denunciar situações, mobilizar apoios ou pressionar políticas que enfrentem os complexos problemas existentes”, refere o PCP.

e-max.it: your social media marketing partner