Em oito meses é a segunda vez que o executivo permanente, liderado por Paulo Vicente, merece nota negativa por parte dos eleitos da CDU, do MpM e do +Concelho.

Desta feita estava em causa a aprovação do orçamento retificativo, que foi chumbado em reunião de câmara extraordinária, na passada sexta feira, 15 de julho

Paulo Vicente e Cidália Ferreira, do Partido Socialista, estão de novo a braços com um chumbo a um documento importante para a governação da Câmara. Na última sexta e após cerca de três horas e meia de debate, durante as quais os sete eleitos que compõem o executivo camarário não conseguiram chegar a um consenso, foi colocada à votação a 15ª Modificação aos Documentos Previsionais de 2016 – 1ª Revisão, que mereceu apenas os votos favoráveis do presidente, da vice presidente, e do vereador do PSD, António Santos. Vítor Pereira e Alexandra Dengucho, vereadores da CDU, Aurélio Ferreira, do MpM, e Carlos Logrado, do +Concelho, reprovaram o documento.

Leia mais na edição em papel do JMG.

e-max.it: your social media marketing partner