Um mês após as eleições autárquicas, ainda não há entendimento para a governação local. Cidália Ferreira ganhou as eleições, distribuiu os pelouros mas ainda não conseguiu uma maioria estável.

“Estão a decorrer diálogos”, afirmou uma fonte socialista ao JMG. Mas que tipo de diálogos? Resposta: “simplesmente diálogos”.
A curiosidade jornalística é infinita: “com quem?” A reposta foi pensada: “com as duas partes”.

Ou seja, no dia em que este texto foi escrito - 30 de outubro, pelas 20h - ainda não existia acordo entre o PS e a oposição. Nem com o PCP, nem com o MpM.

A recente eleição do comunista Luís Guerra Marques para a presidência da Assembleia Municipal da Marinha Grande veio arrefecer o ímpeto negocial, que tem sido pouco intenso.

Os socialistas viram-se ultrapassados na eleição do líder do parlamento local, onde Curto Ribeiro tinha legítimas aspirações, e não gostaram do acordo estabelecido entre o PCP e o MpM. Porém, o JMG sabe que depois do desconforto, é tempo de negociar, mas não será fácil. Há uma grande desconfiança entre as partes uma vez que o PS sabe que do outro lado está a oposição que lhe retirou a Assembleia Municipal, cargo que os socialistas desejavam ardentemente.

Esta secção do artigo está disponível apenas para os nossos assinantes. Por favor clique aqui para subscrever um plano para ver esta parte do artigo ou então leia o artigo completo na nossa edição em papel.

e-max.it: your social media marketing partner