Ana Alves Monteiro insurgiu-se na reunião de câmara da última segunda feira, 5 de fevereiro, pela forma como foi designada pela presidente Cidália Ferreira a representante do Município na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ).

Para a autarca do MpM, a vereadora Célia Guerra, que deveria ter sido indicada pelo órgão câmara municipal, “não reúne as condições necessárias para exercer o cargo”, tanto mais que para tal deveria fazê-lo a tempo inteiro, uma vez que o concelho tem mais de 5.000 jovens residentes, o que não se coaduna com o exercício de vereadora a tempo integral. Ana Monteiro considerou “abusiva” e “irresponsável” a atitude de Cidália Ferreira, anunciando que dará nota aos órgãos de fiscalização desta situação. Na resposta, Cidália Ferreira disse que sempre foi o vereador da Ação Social a ser indicado para presidir à CPCJ, garantindo que vai “rever” a situação.

Esta secção do artigo está disponível apenas para os nossos assinantes. Por favor clique aqui para subscrever um plano para ver esta parte do artigo ou então leia o artigo completo na nossa edição em papel.

e-max.it: your social media marketing partner