O Tribunal de Leiria condenou na semana passada a penas de prisão efetiva três dos nove acusados de furtos qualificado e simples, roubo e condução de veículos sem habilitação, no âmbito da operação «Vida Loka» da PSP da Marinha Grande.

O coletivo de juízes entendeu aplicar a pena de seis anos de prisão efetiva a um dos arguidos, que, apesar de ser jovem, ficou de fora do regime especial. “O senhor tem um passado criminal e o tribunal ficou convencido que a sua conduta foi determinante para os factos”, justificou a juiz presidente.

Outro jovem foi condenado a cinco anos e dois meses de prisão, mas enquadrado no regime especial para jovens, o que levou a que a pena fosse substancialmente menor. Neste caso, a magistrada valorizou as declarações do arguido em sede de inquérito, lamentando, contudo, que não tenha prestado depoimento durante o julgamento.

A um outro indivíduo foi aplicada a pena de três anos e seis meses de prisão efetiva.

Três acusados foram condenados a penas suspensas, entre os dois anos e seis meses e os três anos de prisão, e os restantes três arguidos foram absolvidos por não se terem provado factos contra os mesmos.

Esta secção do artigo está disponível apenas para os nossos assinantes. Por favor clique aqui para subscrever um plano para ver esta parte do artigo ou então leia o artigo completo na nossa edição em papel.

e-max.it: your social media marketing partner