A plantação, simbólica, de um pinheiro manso junto ao edifício do Centro de Saúde da Marinha Grande marcou, na semana passada, as comemorações do primeiro aniversário da Unidade de Saúde Familiar (USF) Vitrius, coordenada pelo médico Hugo Medeiros.

O JMG esteve presente na iniciativa e conversou com o diretor da Unidade de Saúde Familiar Vitrius, que fez um balanço “muito positivo” deste primeiro ano de atividade, esclarecendo que se trata de um projeto iniciado anteriormente pelos colegas “mais velhos”. “Foi um parto muito difícil, digamos assim, mas não desistimos. Conseguiu-se reunir uma equipa jovem e multidisciplinar, em que todos partilham da mesma dinâmica de trabalho”, considerou Hugo Medeiros.
Criada a 11 de maio de 2018, a USF Vitrius assenta num modelo de organização diferente do que havia, funcionando como uma Unidade em que o utente tem uma resposta mais regular com o seu médico de família. No entanto, “em situações agudas e na ausência do clínico, a Unidade assegura sempre resposta”.
De acordo com Hugo Medeiros, o modelo adotado tem tido boa aceitação. Prova disso são os resultados “muito positivos” de um questionário realizado há pouco tempo para medir a satisfação dos utentes. Mas nem tudo são coisas boas. Entre os aspetos negativos referidos no inquérito era mencionado o estado das instalações, uma situação que será resolvida a curto prazo tendo em conta que já estão a decorrer os trabalhos de requalificação do Centro de Saúde.
Segundo Hugo Medeiros, a equipa que dirige “está motivada e com vontade de trabalhar em prol dos utentes. Trabalhamos com mais satisfação e é aí que assenta a grande diferença”.
Com a reorganização dos serviços foi criado o «enfermeiro de família», uma figura considerada “essencial” ao permitir criar uma relação de grande confiança com os doentes. “O utente sabe sempre a quem recorrer, por exemplo para levar uma vacina e temos exemplos das consultas de saúde infantil e mais tarde de planeamento familiar, em que os jovens estabelecem uma relação muito forte com a equipa e procuram-nos para ajudar a resolver algumas situações mais delicadas”.

Utentes têm sempre resposta
Segundo o responsável, “funcionamos verdadeiramente como uma equipa de saúde”, em que “toda a gente tem resposta no próprio dia, através da consulta aberta, destinada a situações agudas, e que pode ser feita por qualquer um dos médicos da USF”. O tempo de atendimento depende da especificidade de cada consulta e da situação em apreço, refere Hugo Medeiros, acrescentando que as consultas marcadas no próprio dia não devem ser usadas para mostrar exames, podendo estas ser agendadas previamente. “Nos casos que, não sendo urgentes, requeiram alguma urgência é possível dar em resposta em cinco dias e temos conseguido cumprir esta meta a 100%”.
A funcionar das 8h às 20h, de segunda a sexta feira, a USF Vitrius mudou há alguns meses de instalações devido às “tão desejadas” obras de requalificação do Centro de Saúde. A equipa mobilizou-se e um fim de semana chegou para mudar secretárias, cadeiras, computadores e outros equipamentos de espaço, para a zona do Serviço de Atendimento Permanente. Esta situação tem criado algum “desconforto”, na medida em que os utentes da USF partilham a sala de espera com os do SAP, que nem sempre compreendem por que motivo alguém que acabou de chegar é atendido primeiro. Contudo, trata-se de uma situação “transitória” e que dentro de um ano deixará de existir.

Aposta na melhoria contínua
Com 14 mil utentes a cargo, a USF Vitrius é composta por oito médicos, oito enfermeiros e cinco administrativos, aos quais se somam quatro internos de medicina geral e familiar, dois internos do ano comum, e dois alunos de enfermagem. “Acabamos por funcionar também como uma escola, o que só traz vantagens, já que ‘obriga’ a equipa a ‘refrescar’ conhecimentos e a estudar sempre mais”, refere Hugo Medeiros, acrescentando que “estamos a trabalhar bem, em velocidade cruzeiro mas com a perfeita noção que há muito para crescer, mesmo a título pessoal. Vamos percebendo no dia a dia o que pode ser melhorado, com vista a dar os cuidados de excelência aos doentes, como eles merecem”.
Para assinalar o 1.º aniversário a USF Vitrius dinamizou ainda algumas palestras sobre saúde infantil e nutrição, sexualidade no idoso e saúde da mulher, embora com fraca adesão dos utentes. Foi também lançado o Guia do Utente, onde consta o modelo de funcionamento da Unidade, os tipos de consulta existentes, os contactos e outras informações consideradas úteis. Foi ainda colocado em funcionamento um novo sistema de senhas, com fichas vermelhas (consulta urgente), verdes (consulta programada) e azuis (receitas, exames), consoante o tipo de consulta. A ideia é evitar a formação de filas e facilitar o atendimento dos utentes.

e-max.it: your social media marketing partner