O “Bravo do Pinhal do Rei” é como se denomina a árvore existente no concelho da Marinha Grande que se encontra entre os 10 finalistas do concurso “Árvore do ano”


Este pinheiro-bravo, vulgarmente designado de «pinheiro serpente», foi nomeado pelo Centro PINUS e está a votação, juntamente com outras 9 árvores, até ao próximo dia 23 de novembro.

Segundo as informações disponíveis no site do concurso (https://portugal.treeoftheyear.eu/Trees/2020/Arvore-2), trata-se de um pinheiro-bravo (Pinus pinaster Aiton), com 125 anos de idade, 11 metros de altura e dois metros de perímetro do seu tronco. Está localizado em São Pedro de Moel, junto a um dos acessos à Praia das Pedras Negras.

O “Bravo do Pinhal do Rei” é descrito no âmbito do concurso da seguinte forma: “Qual guardião das dunas, este pinheiro veterano, com o seu tronco imponente e inusitado serpenteia pela areia como que a ouvir o pulsar da terra. Um representante invulgar da sua espécie, destaca-se dos demais ao não desafiar a gravidade e manter-se junto ao chão, conquistando uma vasta área, de mais de 260m2. Assim permanece até hoje o Bravo do Pinhal, para deleite de quem o avista, lutando contra ventos, tempestades e o avançar da areia numa batalha invisível e interminável”.

Para votar basta aceder ao site: https://portugal.treeoftheyear.eu/Trees/2020/Arvore-2.

De referir que o Centro PINUS é uma associação sem fins lucrativos que reúne os principais agentes da Fileira do Pinho, que visa “promover a sustentabilidade do pinheiro-bravo na floresta portuguesa, contribuindo para o fornecimento de matéria-prima adequada às necessidades das indústrias da Fileira”. Tem entre os seus associados o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

O concurso nacional é promovido pela União da Floresta Mediterrânica e habilita a árvore portuguesa vencedora a concorrer à votação para a Árvore Europeia do Ano.

e-max.it: your social media marketing partner