São estas palavras que nós, jovens, escolhemos para descrever o mandato camarário que agora termina



Nunca pensámos viver num município em que, em quatro anos, não se tenha conseguido completar uma rede de água e saneamento básico, ambos Direitos Humanos fundamentais; reunir consensos para construir um mercado ou um intermodal de transportes; acompanhar a Europa na redução dos níveis de emissão de carbono; assumir uma posição de liderança na reflorestação do Pinhal do Rei; questionar os seus munícipes sobre as suas expetativas para a FEIS ou para as Piscinas de São Pedro de Moel. Perante um Executivo municipal que teve a oportunidade única de governar com uma oposição que quase nada chumbou, o presente da Marinha Grande é vergonhoso e deixa-nos pouco a orgulhar.

Mas porque só agora nos manifestamos? O Artigo 2.º do Lei n.º 8/2009 diz, e citamos: “O conselho municipal de juventude é o órgão consultivo do município sobre matérias relacionadas com a política de juventude”. Contudo, que se expresse o jovem que teve oportunidade de fazer parte dele. O Executivo decidiu abandonar por completo este órgão fundamental, e ideal, para auscultar os jovens e perceber o que querem para o seu futuro enquanto munícipes. Este não foi um Executivo que quisesse estar próximo dos jovens da Marinha Grande.

Perguntam-nos porque não ficamos no concelho. Será pela falta de árvores, pela falta de manutenção dos espaços públicos ou oferta de ensino superior? Será pelo total desleixo pelas nossas praias e pelo nosso pinhal do Rei? Ou até pela falta de atividades de cariz cultural e lúdico onde nos possamos divertir e conviver? Os motivos para não ficar são mais que muitos. No entanto, e apesar do esforço de uma liderança apagada para manter os jovens afastados da governação local, não nos alienamos. Somos o futuro, somos os cidadãos de amanhã, os líderes de amanhã. É absolutamente autista que não nos ouçam, considerem ou consultem na tomada de decisão.

Não acreditamos na utopia da perfeição, mas sabemos que pode haver uma liderança que ligue as partes e que consiga tornar a juventude num elemento importante da governação. Não encontramos essa liderança na atual Presidente da Câmara, cuja postura no cargo se pautou pela falta de carisma, pela falta de proatividade, pela falta de competência e, em última análise pela falta de rumo, estratégia e transparência. Esta é uma análise que estendemos também à maioria dos elementos da sua equipa. Queremos e, mais do que isso, precisamos de um líder competente, ágil, informado, inovador, que apresente soluções e medidas acionáveis, e com capacidade de se relacionar com todos os munícipes, desde os mais novos aos centenários.

Desta vez não ficaremos nos bastidores. Assumiremos um papel preponderante na construção do futuro do nosso território, futuro esse que será vivido por nós e no qual apenas nós somos certeza. Também nesta certeza, e sem falsas modéstias, há resoluções que acreditamos não poderem esperar e, por isso, também nós trazemos a público alguns temas prementes.

Queremos um concelho com uma estratégia bem definida, com objetivos claros, em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas; espaços públicos bem mantidos, com cobertura verde e preparados para receber quem nos visita; novos trilhos e zonas de convivência num Pinhal do Rei reflorestado de forma sustentável e organizada; edifícios públicos sustentáveis do ponto vista ambiental; um tecido industrial a atingir a neutralidade carbónica urgentemente; uma carta educativa renovada, adaptada a métodos de ensino inovadores; mais e melhores incentivos à natalidade; programas de estágios para garantir que todos os jovens têm oportunidades num mercado de trabalho cada vez mais competitivo; uma biblioteca equipada para receber os estudantes do século XXI; umas piscinas de São Pedro de Moel públicas e requalificadas com outros equipamentos de entretenimento; um Museu da Floresta verdadeiramente moderno e inovador, um foco de educação sobre as matas portuguesas; um renovado Comboio de Lata como solução turística e de mobilidade sustentável; uma agenda cultural verdadeiramente anual com eventos arrojados e transformadores; um centro histórico revitalizado, com novas zonas de comércio, restauração e lazer; um Conselho Municipal da Juventude ativo e preponderante na operação municipal; um Orçamento Participativo bem estruturado e realista; a criação de fóruns de discussão que tragam para cima da mesa temas que têm de deixar de ser tabu (como o racismo, as minorias ou a xenofobia); o bom acesso à saúde com infraestruturas modernas e bem preparadas; uma nova estratégia de atração com novos subsídios e apoios para fomentar a diversidade industrial; a colaboração com as centenas de empresas aqui sediadas para criar um polo de empreendedorismo e apoiar a criação de startups; tornar a Marinha Grande numa verdadeira smart city; preparar as nossas escolas para as novas tecnologias e renová-las com ambientes colaborativos, com foco no conforto do estudante; construir um intermodal de transportes perto da ferrovia capaz de ligar a mesma à rodovia e às ciclovias; criar ciclovias em todo o concelho de forma a ligar o centro aos lugares periféricos; promover programas de bicicletas públicas e de apoio à aquisição de bicicletas elétricas; reorganizar os serviços da Câmara e renovar a operação com foco na transparência, digitalização e eficiência dos mesmos; ter um parque habitacional digno para quem lá vive e viverá; garantir que nenhuma oportunidade do PRR ou Portugal 2030 cai desaproveitada.

Comprometemo-nos a contribuir para o nosso concelho com ideias inovadoras; a fiscalizar o trabalho do Executivo, independentemente da sua cor ou visão política, e restantes órgãos camarários; a criticar, sempre construtivamente, as decisões políticas e projetos que saírem das reuniões quinzenais; a lutar pela transparência e igualdade em todos os órgãos municipais e, acima de tudo, a garantir que nenhum munícipe é deixado para trás ou é esquecido.

Qualquer jovem que se tenha identificado com a nossa missão, pode juntar-se a nós e fazer parte de uma frente ativa e participativa. Basta enviar um email para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Juntos vamos lutar por uma Marinha Grande que faça jus ao seu nome e seja realmente GRANDE!

Por fim, não podemos deixar de apelar a que todos, mas mesmo TODOS se desloquem às urnas no próximo dia 26 de setembro. Já sofremos na pele o troco da inércia, por não exercermos o nosso direito de voto. Não deixemos que os próximos anos sejam iguais aos últimos quatro.

Geração em Branco

e-max.it: your social media marketing partner