Nas comemorações do 47º aniversário, o presidente da direção da ACR Comeira fez duras críticas à autarquia pela falta de apoio para a conclusão das obras na sede da coletividade.

Carlos Franco, algo agastado e simultaneamente emocionado, dirigiu-se aos sócios e simpatizantes dizendo-lhes que a associação a que presidente “não é subsídio-dependente”, afirmando que no ano passado o movimento da ACR Comeira ultrapassou os 90 mil euros dos quais “900 euros provenientes da Câmara da Marinha Grande e mais de 3000 euros da Junta de Freguesia”.

O dirigente associativo foi mais longe ao afirmar que na vigência das suas direções foram investidos cerca de 250 mil euros. “Apoios institucionais foram apenas 8%”, afirmou. 

Franco deu ainda conta que o património da coletividade a que preside ascende a 400 mil euros, ou seja, “o povo da Comeira tem que sentir orgulho do que temos aqui”.

Já na fase final do discurso, num tom mais firme, o dirigente sublinhou que “não sou um pedinte, não tenho que andar a pedir nada a ninguém”.
Terminou dizendo que apesar de não ter perfil para ser presidente, “estou disponível para continuar”.

Esta secção do artigo está disponível apenas para os nossos assinantes. Por favor clique aqui para subscrever um plano para ver esta parte do artigo ou então leia o artigo completo na nossa edição em papel.

e-max.it: your social media marketing partner