Foram 21 as pessoas residentes no concelho da Marinha Grande que recorreram em 2020 aos serviços da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima


Segundo o relatório anual de 2020 da APAV, foram registados no ano transato um total de 66.408 atendimentos nos vários serviços de proximidade, desde Gabinetes e Equipas Móveis de Apoio à Vítima, Polos de Atendimento em Itinerância, Sistema Integrado de Apoio à Distância, Sub-Redes Especializadas, Casas de Abrigo e ainda através da Linha Internet Segura.

O documento dá nota de 19697 crimes e outras formas de violência, 13093 vítimas diretas e foram promovidas 1227 atividades formativas. No que respeita aos crimes, a maior percentagem, 95%, refere-se a crimes contra pessoas, e 2,5% a crimes contra o património.

A APAV contabiliza, em 2020, 8720 vítimas do sexo feminino, a uma média de 24/dia; 1841 crianças, 5/dia; 1627 homens foram vítimas; e houve 1626 idosos afetados no último ano.

A maioria das vítimas (61,6%) procurou o apoio da APAV através de contacto telefónico, a uma média de 38 chamadas atendidas por dia, tendo a Associação apoiado vítimas diretas oriundas de 290 municípios entre os 308 existentes no país, sendo que da Marinha Grande foram apoiadas 21 pessoas (o relatório não discrimina sexo, nem faixas etárias por concelho).

Quanto aos perfis das vítimas, segundo a APAV foram mulheres com média de idade de 40 anos, na sua maioria com o ensino superior, e que foram alvo de agressão por parte do cônjuge. No que se refere às crianças e jovens, a média de idades ronda os 10 anos, a maioria é do sexo feminino, e são filhas do/a agressor/a. Quanto aos idosos, têm em média 76 anos, na sua maioria são mulheres, e são agredidas pelo cônjuge e/ou pelos filhos. Já no que concerne às vítimas do sexo masculino, têm uma média de idade de 36 anos, e habilitações ao nível do ensino superior.

Em 2020, a APAV registou 51 homicídios consumados e 33 na forma tentada, 793 crimes de ofensa à integridade física simples e 14854 crimes de violência doméstica (maus tratos físicos e psíquicos).

De referir ainda que a APAV possui uma linha de apoio à vítima de carácter gratuito, que funciona nos dias úteis das 8h às 22h, basta ligar o 116 006.

e-max.it: your social media marketing partner