Pela primeira vez, a seleção portuguesa marcou presença no Mundial de Footgolf, que decorreu entre 9 e 16 de dezembro, em Marrocos. Na comitiva estavam três marinhenses que terminaram a competição com boas prestações a nível individual e coletivo.

Daniela Branco, Flávio Azenha e Miguel Maia foram os atletas que ajudaram a seleção portuguesa a conquistar o 16.º posto no Mundial de Footgolf, que contou com a participação de 36 equipas. Com este resultado, Portugal fica agora com uma grande possibilidade de estar presente no Europeu de Footgolf, que decorre no próximo ano em Inglaterra.

O atual campeão nacional de Footgolf, Flávio Azenha, que tinha como objetivo classificar-se no Top20, conseguiu conquistar o 12.º lugar. “Foi um orgulho muito grande representar o país e um privilégio enorme poder jogar uma competição tão importante e com tantos jogadores de qualidade”, afirma o atleta, que na próxima época tem como objetivo revalidar o título de campeão nacional.

Já Daniela Branco, campeã nacional de Footgolf e a primeira mulher a representar Portugal num Campeonato do Mundo, conseguiu alcançar o 37.º posto. “Tendo em conta os poucos meses que pratico Footgolf e a lesão contraída no segundo dia de prova, o lugar que alcancei foi positivo. As mensagens de apoio e motivação ajudaram imenso a manter a nossa atitude positiva e o equilíbrio emocional”, refere. Para a próxima época a atleta marinhense assume também como objetivo a revalidação do título de campeã nacional.  
Miguel Maia, que terminou o Campeonato do Mundo no 164.º posto, foi o 3.º melhor português na categoria sénior. “Foi uma semana dura, tanto física como psicologicamente. Foram oito dias de competição em campos longos, onde, além dos ‘kicks’ na bola, percorríamos entre 12 a 14 quilómetros. Contudo, as mensagens de apoio que recebíamos todos os dias de Portugal deram-nos força para lutar pelos nossos objetivos”, conta o marinhense, que na próxima temporada do circuito nacional tem como objetivo defender o 5.º lugar alcançado na passada época.

Ao JMG, os três atletas que representam o Leiria Footgolf Club afirmam que veem com otimismo o futuro desta modalidade em Portugal. “O Footgolf no nosso país está em claro crescimento. Apesar de o circuito nacional existir há apenas dois anos, temos já jogadores com muita qualidade”, sublinha Miguel Maia. Uma opinião que é reforçada por Flávio Azenha. “É uma modalidade apaixonante e acessível à grande maioria das pessoas. Não tenho dúvidas que o crescimento do número de jogadores fará aumentar a qualidade e a competitividade do circuito”.

e-max.it: your social media marketing partner