Numa altura em que o confinamento ao lar, por via da pandemia do novo coronavírus, pode ser potenciador de atritos entre os casais, a Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade está a divulgar alguns materiais de sensibilização que visam alertar para eventuais casos de violência doméstica

 

Na página do Agrupamento de Escolas de Vieira de Leiria, por exemplo, são partilhados alguns dos cartazes elaborados pela referida Secretaria de Estado e pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, com conselhos para vizinhos e vítimas.

No caso dos vizinhos, é pedido que estes façam sentir a sua presença e que fiquem alerta a sinais de violência física, psicológica, sexual e financeira; que disponibilizem o seu contacto telefónico numa zona de passagem caso residam num prédio para mostrarem que estão disponíveis para ajudar; que estabeleçam códigos que alertem para situações de crise, como um sinal, uma palavra ou um objeto colocado à janela; e que contactem, caso seja necessário os números de apoio 800 202 148 (serviço de informação) e 116 006 (Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – APAV).

No caso das vítimas, é recomendado que mantenham o contacto com pessoas de confiança como familiares ou vizinhos; que identifiquem membros da família, amigos ou vizinhança que os possam acolher em caso de necessidade; que combinem códigos de emergência com as crianças, se as tiverem, ou com vizinhos; e, entre outros aspetos, ter à mão números de apoio como o da APAV, mas também da Linha de Emergência Social (114) ou mesmo o 112, se sentir que as suas vidas estão em risco.

e-max.it: your social media marketing partner