Mariana da Silva Simões e Matilde Lagoa Tarenta, alunas da Escola Secundária Eng.º Acácio Calazans Duarte, conquistaram o 2.º prémio na 29.ª edição do Concurso Nacional para Jovens Cientistas, organizado pela Fundação da Juventude com o apoio da Ciência Viva


“Biorremediação ex situ de água proveniente da Lagoa da Ervedeira: Utilização de Chlorella vulgaris” foi o projeto apresentado pelas jovens alunas, com orientação do professor Rui José Fernandes, e que lhes valeu um prémio monetário de 1.000 euros.

A eutrofização é um processo de degradação dos ecossistemas aquáticos, consequência do aumento de nutrientes na água, essencialmente fósforo e azoto, que pode ser controlado recorrendo a técnicas de biorremediação, como a ficorremediação, um processo que utiliza algas, que assimilam nutrientes. O trabalho estudou a possibilidade deste método se poder aplicar na Lagoa da Ervedeira, célebre pelo seu estado eutrófico nos meses de verão.

Concluiu-se que, como a remoção de nutrientes, por parte da microalga, foi bem-sucedida e a densidade da mesma aumentou para níveis ótimos, esta técnica poderá enquadrar-se nas estratégias de limpeza e gestão eco-eficientes da Lagoa.

De referir que os 124 projetos apresentados a concurso foram avaliados por um júri presidido por Raquel Seruca, investigadora no Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, e apresentados na 15.ª Mostra Nacional de Ciência, considerada uma das maiores a nível europeu.

e-max.it: your social media marketing partner