O Vieirense não aproveitou jogar toda a segunda parte em superioridade numérica e acabou derrotado por um Alqueidão que soube sofrer e foi mortífero no contra golpe

Depois de um primeiro quarto de hora mal jogado e sem pontos de interesse, foi o visitante o primeiro a criar perigo por Vasco, que numa tabela com Kiko podia ter inaugurado o marcador mas o lateral Gerson fechou bem ao meio e evitou males maiores para a sua equipa, na resposta Baixinho isolou-se e foi travado de “carrinho” dentro da área por Kiko Bento, lance que suscitou grandes protestos caseiros por alegada grande penalidade.


O jogo estava agora mais vivo e com lances de perigo para as duas Balizas, William esteve perto do golo quando aproveitou um ressalto para rematar com João Guerra a desviar por instinto para canto, depois funcionou novamente a velha máxima do futebol em que “quem não marca sofre” e o Alqueidão adiantou-se no marcador por Kiko, que aproveitou uma bola colocada nas costas da defensiva Vieirense para se isolar e picar a bola sobre o desamparado Ruben que nada podia fazer.

Em desvantagem no marcador o Vieirense subiu as linhas, de contra ataque podia ter sofrido o segundo mas Vasco permitiu o corte do defensor caseiro quando tentava servir Dady, até ao intervalo destaque ainda para Camará que numa jogada individual entrou na área mas o central da Serra recuperou bem e cortou para canto.

A segunda metade começou com uma grande oportunidade para o Vieirense quando Camará ganhou em velocidade aos centrais adversários e perante o guardião Guerra tentou colocar em jeito mas este desviou in-extremis. O Vieirense veio mais pressionante no segundo tempo e William de meia distância também tentou mas a bola saiu por cima, ainda nos primeiros minutos da etapa complementar o Alqueidão ficou com menos um elemento por expulsão de Meca e a pressão intensificou-se ainda mais, mas de contra-ataque o visitante ia sempre criando muito perigo sobretudo através da velocidade de Vasco.

Ao minuto 78’ o lance mais polémico, o avançado William faz golo mas a equipa de arbitragem anula o mesmo por pretenso fora de jogo o que nos pareceu ser uma decisão desajustada, o lance gerou muitos protestos. Com o avançar dos minutos o Alqueidão fechava-se mais no seu reduto e apostava tudo no contra-ataque, já o Vieirense apesar da grande pressão ofensiva tardava em criar real perigo.

Apesar da inferioridade numérica foi mesmo o Alqueidão a aumentar a vantagem e a selar assim a vitória na Vieira com um golo de Vasco pleno de oportunidade a só ter de encostar depois de uma primeira defesa de Ruben.

Arbitragem de Telmo Rodrigues manchada pelo golo mal anulado ao Vieirense, induzido em erro pelo seu auxiliar, que acabou por interferir no resultado.

 

Ficha técnica:

ID Vieirense 0

Ruben, Daniel, Mascoel (Marcelo, 78’), Bernardo, Gerson, Letra (c) (Miguel, 62’) André Cruz, Carlos, Baixinho, Camará e William

Não jogaram: Artur e Gonçalo

Treinador: Luciano Silva

 

CCR Alqueidão Serra 2

João Guerra, Fred, Kiko Bento, David, Pauleta (Tiago Cerejo, 62’), Tiago Claro (Matos,62’), Dady, Meca, Kiko (Alexis, 75’), Colaço e Vasco

Não Jogaram: André Tavares, Tomás, Tiago Gomes

Treinador: Filipe Faria

 

Estádio Albano Tomé Feteira - Vieira de Leiria

Árbitro: Telmo Rodrigues    

Assistentes: Eduardo Menino e Luís Figueiredo

Espectadores: sem público

Ao intervalo: 0-1

Golos: 0-1 Kiko (36’); 0-2 Vasco (90’+2)

Disciplina: Amarelo a Baixinho (10’), Bernardo (23’), Tiago Claro (39’), Camará (89’), Ruben (90’) vermelho direto a Meca (49’) e ordem de expulsão para ambos os técnicos.

e-max.it: your social media marketing partner