Vivemos num planeta com, aproximadamente, 195 países, 7,9 mil milhões de pessoas, 7 139 línguas diferentes, mais de 4 000 religiões e, ainda assim, existem coisas que nos unem e nos fazem esquecer as nossas diferenças

 

Desde o início dos tempos que o Homem é um ser comunicativo e social, procura estabelecer relações com outros da mesma espécie, e encontrar alguém onde o mesmo se reveja.

Ao longo dos tempos, surgem novas e diferentes comunidades, culturas, línguas e hábitos. Cada uma especial e única, à sua maneira! Trata-se de algo que marca pessoas e nações, algo que une e, simultaneamente, também separa. Algo que define e projeta a imagem de antepassados.

Descobridores

Nós, portugueses, somos os descobridores, dividimos o mundo em 1494 com a Coroa Espanhola, somos a casa do pai do teatro, Gil Vicente, somos Fado e guitarra portuguesa, somos Galo de Barcelos e bacalhau com batata a murro, somos festas da terra e festivais de verão, mas será que não somos mais do que tudo isto?

Somos todos tão diferentes, com valores e crenças que divergem… todos temos algo que nos torna únicos, e contudo, há sempre alguma coisa que nos pode aproximar.

Comunidade cúmplice

Nos próximos dias 16, 17 e 18 de abril, no Altice Arena, irá decorrer o Campeonato da Europa de Judo, onde cerca de 45 nações se vão reunir, todas de locais diferentes, com culturas, línguas e costumes distintos, mas todas unidas por uma causa que nos move, o Judo!

Nunca vamos ser iguais aos que nos rodeiam, embora acredite que, seguramente, haverá sempre algo mais forte que nos ligue e que faça de nós uma comunidade cúmplice, onde o denominador comum é o tatami e a paixão pelos valores deste desporto.

Matilde João

e-max.it: your social media marketing partner