Há 15 anos a formar jovens. Bem poderia ser este o slogan do Tocándar, o grupo de percussão da Marinha Grande que completa este mês 15 anos de existência e por onde já passaram mais de oito centenas de jovens.

Em entrevista ao JMG, o mentor do projeto, Paulo Tojeira, faz um balanço deste período e alerta para o “défice de cultura” de alguns responsáveis políticos

O que aprendeu nestes 15 anos de liderança do Tocándar?

Se quiser ser sincero digo que não sei. Aprendi tanta coisa, especialmente coisas que não pensava vir a aprender. Aprendi a ser melhor cidadão, a ser mais paciente, a analisar as coisas com mais calma, a conhecer, a interiorizar que cada um de nós é diferente do outro e temos que conviver com essas diferenças e respeitá-las, fazendo-as confluir num objetivo comum: irmos para o palco fazer uma coisa que nos dignifica e que nos dá prazer.

Que balanço faz deste período?

Muito positivo porque têm sido muitas as adversidades. São 15 anos, cada dia com uma adversidade, e sobretudo adversidades que surgem dos locais de onde menos esperamos. E isso tem sido um elemento fundamental para a nossa coesão interna e para a nossa vontade de querer fazer ainda melhor.


Leia a versão integral da entrevista na edição em papel do JMG.

e-max.it: your social media marketing partner